Daniela Graça

Espelho Cinemático

Daniela Graça

Palm Springs (2020)

 O filme norte-americano Palm Springs estreou na plataforma de streaming Hulu a 10 de julho e é um dos melhores filmes de 2020 até à data. É uma comédia romântica com elementos de ficção-científica que revitaliza e aperfeiçoa a fórmula do time loop (um ciclo de tempo interminável e inescapável que repete sempre o mesmo dia) popularizada com o filme O Feitiço do Tempo (1994). Palm Springs, escrito por Andy Siara, é a primeira longa-metragem do realizador Max Barbakow e é protagonizado pelos atores Andy Samberg e Christin Milioti.

O enredo passa-se em Palm Springs, durante a celebração de um casamento, e segue a vida de Nyles (Andy Samberg) que está condenado a viver eternamente o mesmo dia. Não existe nenhum amanhã, existe somente o hoje que se repete dia após dia num ciclo infinito. Até que Sarah (Christin Milioti), a irmã da noiva e dama de honor, fica aprisionada no time loop. Os dois estão agora presos no mesmo dia, no mesmo local e incapacitados de fugirem de si mesmos ou um do outro.

O que distingue Palm Springs do famoso O Feitiço do Tempo (1994) e dos consequentes filmes que seguiram o conceito do time loop como, por exemplo, o filme de terror Feliz Dia Para Morrer (2017) ou o filme de ação No Limite do Amanhã (2014) é uma mudança simples mas crucial: em vez de somente uma pessoa experienciar o mesmo dia infinitamente serão duas pessoas a experienciar o mesmo purgatório.

Palm Springs é um filme refrescante devido ao argumento inovador, sólido e divertido de Andy Siara que o realizador Max Barbakow capturou num ritmo rápido e com um tom colorido e leve. As duas personagens principais foram profundamente desenvolvidas ao longo de toda a duração do filme, com personalidades em que as motivações, medos e falhas brilham, algo que é raro em comédias românticas. A dinâmica e química que a dupla romântica demonstra enquanto navegam pela absurdidade de um time loop é intoxicante. A realidade desprovida de sentido e significado, em que se está preso no mesmo dia e mesmo lugar sem qualquer escapatória, e como tal não existe consequências pelas ações tomadas levanta questões existencialistas importantes: resignação total face à situação, aceitar o limbo e encontrar desta forma alguma paz ou procurar lutar e consequentemente lidar com as consequências dolorosas do possível amanhã? Permanecer no conhecido estagnado ou arriscar o desconhecido repleto de incertezas? Alimentar uma fachada segura e distante ou ter confiança e apostar num relacionamento romântico duradouro?

Palm Springs é um filme divertido e surpreendentemente profundo, sem nunca se tornar pesado, que aborda temas existencialistas, conexões humanas e o fardo das consequências através de personagens bem-escritas e humor divertido. Palm Springs não só é um dos melhores filmes de 2020 como também é uma das melhores comédias românticas dos últimos anos e o melhor filme sobre um time loop.