Paulo Falcão Alves

Vaguear na Maionese

Paulo Falcão Alves

The Christmas Tree

Acabamos de entrar no período mais bonito do ano – o Natal, uma festa celebrada um pouco por todo o mundo de forma singular. As decorações de Natal, o abrir dos presentes, os jantares em família, todos estes momentos fazem do Natal um momento único e especial que se vai perpetuando através dos signos que, ao longo das nossas vidas, vamos construindo no nosso imaginário coletivo.

De todos os signos que compõem este horizonte natalício, a árvore de Natal é, na minha opinião, o seu supremo representamen – não por ser o maior, mas por ser aquele que melhor personifica a essência do Natal, transportando-nos para um mundo mágico que nos faz sentir fraternos - mais humanos, fazendo-nos por vezes parar e pensar naqueles que, pelas mais variadas razões, não vão poder sentir o Natal com o mesmo calor e alegria que muitos de nós.

É a partir do momento em que “fazemos” a árvore de Natal que marcamos oficialmente a entrada do Natal nas nossas casas, permanecendo esplendorosa e iluminada, dia-após-dia, como se a lembrar-nos que ainda é Natal.

Os dias vão passando e logo chega a ceia de Natal, abrem-se os presentes, trincha-se o peru e o Natal, embora perca parte da sua magia, vai-se mantendo vivo através das cores e das luzes que vestem as nossas Christmas Trees.

Entretanto, alguns dias depois vem a passagem de ano, trincamos as passas, brindamos ao Ano Novo e entramos na fase mais melancólica – a altura de desmontar a árvore de Natal.

 O ato de “empacotar” a árvore de Natal simboliza oficialmente o fim do Natal e toda a magia que ele representa, fazendo-nos voltar para as nossas vidas, para o nosso mundo sem tempo. Sim, o Natal faz-nos parar no tempo e olhar para o “outro”, algo devíamos fazer mais vezes ao longo do ano – claro que nesse tempo não temos árvores de Natal, mas temos as memórias, os cheiros e os sons dos tempos passados que nos podem ajudar a sentir a sua magia.

Vamos, portanto, aproveitar este Natal esperando serenamente que quando este tempo mágico terminar possamos continuar a sentir algum do seu encanto dentro de nós - pelo menos durante mais algum tempo.

Um Santo e Feliz Natal para todos!